. T. B. EXPOSIÇÃO GERAL DE BELAS ARTES. A Noticia, Rio de Janeiro, 4-5 out. 1894, p. 2. - Egba

T. B. EXPOSIÇÃO GERAL DE BELAS ARTES. A Noticia, Rio de Janeiro, 4-5 out. 1894, p. 2.

De Egba

Almeida Junior. - Nas seis telas do Sr. Almeida Júnior há afirmação de um artista imperfeito, indeciso, mas um artista por temperamento.

De tudo quanto expõe, o trabalho melhor é Pescaria (n.9) em que a paisagem é doce, de um verde de natureza, sem violências, sereno e verdadeiro. À beira do riacho os dois pequenos que pescam tem vida, foram notados, estão ali a pescar e não por simples necessidade de fazer figuras. Quero dizer com isto que suponho que o artista, ao pegar do pincel e ao preparar a tela para este trabalho, tinha em mente a Pescaria e não uma simples paisagem: houve intenção.

Na Pescaria o desenho é bom, excetuando a mão esquerda da figura do primeiro plano, que tem falta de nitidez, que é quase uma mancha.

No n. 10, A pintura, há uma grande beleza de colorido, um sonho de arte se evola do conjunto, que é mais agradável do que correto, e em que, por certo, a frescura das cores, a sua alacridade, o não sei que de luz e de mistério que emerge da tela atraente e simpática mal podem ofuscar o mau desenho dos braços. E seria uma tela deliciosa se não fora este defeito. A anatomia, tantas vezes maltratada nesta exposição, é boa, viva de verdade e de colorido.

No n. 7, Amolação interrompida, a figura é inteiriçada, raide, há falta de verdade no terreno, e a parte já amolada tem a cor da pedra de amolar, sem que do metal se possa distinguir a pedra.

O n.8, Picador de fumo, é também cheio de defeitos. Artificial a madeira em pedaços, falsa a terra, mal desenhada a figura. Não é aquilo. E pelo solo, aquelas manchas que são? Água? Pedra? Sombra? Mistério indecifrável.

Ao fundo, um muro de pedras separadas, traçadas com cuidado, tem o ar de uma construção tosca feita com pedras polidas.

Nestas duas telas há uma evidente preocupação de fazer estranho: marcar mais a linha de contorno do que os pormenores, destacar, pelas linhas extremas, figuras e objetos.

O n. 11, Salto Votorantim, tem qualidades de luz, é bonito mesmo, mas a água está marcada com tal relevo que prejudica o conjunto.

O n.12 é uma cabeça, um estudo bem traçado em que há anatomia, há expressão, mas em que domina uma preocupação de cor, que decididamente é uma das feições deste artista.

Felix Bernardelli. - É uma família de artistas esta família Bernardelli, e, em verdade, aqueles cujos trabalhos temos visto são artistas, tem o amor da arte, sem o qual toda a obra é efêmera; trabalham para atingir uma satisfação íntima e não para agradar o público, que procura o espetaculoso e o novo, com a mera vaidade de ter coisa que faça vista.

O Sr. Félix Bernardelli é, segundo creio, o mais novo dos Bernardellis. A sua exposição é uma das melhores, e só serve para fazer honra aos dois irmãos que, mais do que ele, estão já consagrados pela estima do público e pelo alto apreço e respeito dos profissionais.

As quatro telas de Félix Bernardelli […] uma organização de artista […]

[…] se abriu e deixou ver o que constitui o assunto do quadro de Félix Bernardelli.

As outras duas telas tem por motivo o namoro; numa, uma moça, encostada à vidraça, espera que ele passe. Espera, e desespera; na outra, figura uma criadita que, entre o espanador e a vassoura, encontra tempo para ir de quando em quando ver se ele passa. Ambos estes quadros tem uma vaga poesia do interior do home, que a muitos não impressionará. Mas que sóbria decoração artística, que suave luz, que transparência de cortinas, que bom gosto simples e nobre de vestuário na figura do quadro Quem espera desespera?!

Sim, meus amigos, este é um artista de eleição, fino temperamento de analista, tranquilo espírito de pintor, que nem busca na audácia desvairada dos contrastes nem nos inexplicáveis pruridos de novidade macabra ou mística a realização desse inseparável sonho de glória que o artista persegue. Um artista, e um artista sério, sem complicações, simples e bom.

T. B. [sic] [J. B. ?]


Digitalização de Fundação Biblioteca Nacional Acessível em: http://memoria.bn.br/

Transcrição de Karina Perrú Santos Ferreira Simões

T. B. EXPOSIÇÃO GERAL DE BELAS ARTES. A Noticia, Rio de Janeiro, 4-5 out. 1894, p. 2.

Ferramentas pessoais
sites relacionados