. SALÃO de 1903. Gazeta de Noticias, Rio de Janeiro, 2 set. 1903, p.2. - Egba

SALÃO de 1903. Gazeta de Noticias, Rio de Janeiro, 2 set. 1903, p.2.

De Egba

A inauguração da 10ª exposição geral teve uma grande concorrência. Todo o nosso high-life lá se achava rutilando a elegância das toilettes e a felicidade de admirar, nessa doce intimidade, que é sempre uma exposição de arte. Ao meio dia, quando na sombra do peristilo tocavam as bandas de música o hino nacional, já havia pelas escadarias tapetadas um constante ascender de vestidos caros, entre o sussurro das vozes e o frou-frou das sedas. Na primeira sala, logo depois de ser franqueada a entrada, quase não se podia mover a gente, tal a afluência de visitantes.

A impressão foi magnífica. Fez-se severo o júri, desta vez, e como vestígio de certos ensaios maus, que tanto enfeiavam as exposições anteriores, há apenas, aqui e ali, a inevitável flor num copo e os inevitáveis cachos de frutas...

A sala de pintura, além desses encantadores retratos de Amoedo, dos trabalhos de Bernrdelli [Henrique Bernardelli], das paisagens de Baptista da Costa, de algumas telas de Brocos, das têmperas e da Cabeça de Martir de Elyseu Visconti, tem a poderosa afirmação de um artista muito sóbrio e muito inteligente que é o Sr. Fiuza e do vigoroso temperamento e saber técnico do Sr. Helios Selinger tanto no movimentado quadro Bohemia como no estudo Remorso, uma admirável tela de precisão anatômica e sugestiva idealização.

O salão n.2 reúne as seções de escultura, com um busto do Dr. Brissay de R. Bernardelli, dois gessos muito delicado, de Corrêa Lima e um Cupido da Sra. Julieta França; de arquitetura, com o modelo da futura Escola de Belas-Artes em gesso pelo Sr. Fontes Soares, as gravuras de medalhas de Girardet, as águas-fortes de Brocos, e as cerâmicas de Ludolf e Elyseo Visconti, que são admiráveis como inicio de uma indústria e de uma arte superior.

A diretoria da Escola franqueou ao público uma outra sala da esquerda, onde estão expostos móveis e instrumentos antigos, últimas aquisições da escola.

Às 2 horas da tarde era enorme a concorrência.

Entre outras pessoas notamos na festa da inauguração:

Os Srs. Conselheiro Camello Lampreia e o seu secretário Cabral, da legação de Portugal, os Drs. Lauro Muller, J. J.Seabra, ministros da viação e do interior, senador Nilo Peçanha, deputados Candido Rodrigues, Calogeras, Angelo Netto e Antonio Bastos, comendadores Esberard e Palm, Alfredo Bevilacqua, conde de Figueiredo, Coelho e Almeida, Silva Santos, Peregrino da silva, Americo Ludolff, Celso de Souza, Villasboas, Villaça, Souza Ribeiro, Catta-Preta, Henrique Oswaldo, Sá Vianna, Frei João do Amor Divino Costa, Carlos Gross, Abreu Fialho, comendador Leo d’Affonseca, Emilio de Barros, Pinto Ribeiro, João Chaves, Souza Lage, A. Servulo Lima, Arthur Azevedo, Frota Pessoa, Medeiros e Albuquerque, João Luso, Felinto de Almeida, Pereira Netto, Franco de Sá, Dr. Brissay, Bernardo Horta, Guedes de Carvalho, Dr. Betim Paes Leme, professor Chambellan, Alexandrino de Oliveira, André Cavalcanti, Góes de Vasconcellos, J. Segurado, Dr. Costa Ferraz, Augusto Cesar, Miranda Cunha, Dr. Tobias Monteiro e muitas outras.


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Andrea Garcia Dias da Cruz

SALÃO de 1903. Gazeta de Noticias, Rio de Janeiro, 2 set. 1903, p.2.

Ferramentas pessoais
sites relacionados