. O "SALON" DE 1908. O "VERNISSAGE". Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1 set. 1908, p. 1. - Egba

O "SALON" DE 1908. O "VERNISSAGE". Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1 set. 1908, p. 1.

De Egba

O salon de 1908 ainda não pôde ser inaugurado no novo edifício da Escola de Belas Artes, na avenida Central.

Já se sabia disso quando o edifício foi prometido para 1907.

As empresas do governo são todas assim. Tenha-se em vista o que está acontecendo com os prédios destinados à Biblioteca Nacional e Supremo Tribunal...

Foi, portanto, no velho casarão que confina o Tesouro que se realizou, ontem, o vernissage da nova exposição.

Havia uma concorrência seleta de pintores, escultores, homens de letras e jornalistas.

Era uma atmosfera simpática de arte por todo o salon, quase repleto por aquela hora cálida do meio dia.

Positivamente a exposição deste ano é uma bela e excelente exposição.

Poucos artistas nacionais, mas em compensação todos muito bem representados. Poucas pinturas.

Grande profusão de quadros de grandes dimensões. Um, sobretudo, representando d. Pedro de Alcântara, tem um fundo tão vasto, que, na frase espirituosa de um visitante, serviria mesmo para conter toda a família imperial. Na verdade, d. Pedro é uma figura que desaparece, numa tela de quase cinco metros de altura, sobre uns três de largo, aproximadamente.

Baptista da Costa exibe umas paisagens magníficas. Bracet um retrato expressivo. Lagueruela, pintor espanhol, ora domiciliado entre nós, expõe três telas, que são três verdadeiras obras d'arte, Albergo, Anticole e Feira em Albarracin. Bompart [sic], artista francês, representa-se com uma Veneza deliciosa de poesia e naturalidade. Brocos, expõe um mau retrato, mas salva-se com duas belas paisagens.

Crotti, pintor italiano, um pastelista dos melhores, dá-nos umas lindas coisas. Medinetti e Auto-retratos são, na verdade, dois quadros de mestre.

Latour mostra-nos ainda uma vez os seus bons trabalhos expostos, não há muitos meses, no salão da Associação dos Empregados no Comércio.

Mais uma vez nos extasiamos diante da sua Soror materna de um sentimentalismo tão tocante.

Machado apresenta-se com duas belíssimas produções: A chamada das sereias' e Predica aos pássaros. O primeiro, sobretudo, encanta-nos imensamente.

Menge está no Salon com três curiosas molduras. Navarro [José Navarro] com Pescadores e Temporal, está muito bem.

Carlos Oswaldo, um dos mais belos talentos da moderna geração de pintores, um poeta delicioso, dá-nos um Auto-retrato e uma Paisagem dignos de destaque.

Petit Auguste [sic], natural de França, discípulo de Eugéne Nesle: menção honrosa em 1882 e medalha de Prata em 1884; premiado com medalha de ouro na Exposição geral de 1898 - travessa de S. Francisco, 22, expõe frutas, doces e flores e os retratos de mme. L. do sr. M. e uma Saracura.

Timotheo da Costa [João Timotheo da Costa], o simpático pintor, expõe um ousado nu - Sonho, que a par de pequenas indecisões apresenta qualidades extraordinárias.

Visconti, o consagrado e querido artista, expõe nada menos de 54 trabalhos.

Basta dizer que se fez ao lado do Salon principal um pequeno Salon só para os seus estudos desenhados e pintados para o Theatro Municipal.

Lá estavam em esboços, na verdade, Carlos Gomes, a baiana do angu, Gonçalves Dias, o dr. Chico Passo, João Caetano, o moleque das balas e todos os supre-homens [sic] e figuras cívicas da nossa história, de Pedro Alvares Cabral ao dr. Affonso Penna.

Mas quadros como a Maternidade, Tricoteuse e outros desse pintor que nós sabemos admirar como ninguém, fazem de sobejo esquecer todos aqueles esquissos [sic] do famoso pano, de uma fatura maravilhosa, mas de uma concepção infeliz.

Na seção de escultura, Rodolpho Bernardelli expõe um busto em bronze do dr. Pereira Passos. Moreira Junior, - Daphnes, tocando à frente dos pastores e Renda, um artista italiano - duas graciosas figuras dançando.

A seção de medalhas e pedras preciosas é representada por Girardet e Adalberto Mattos.

Marques Guimarães, o único expositor da seção de arquitetura, expõe o projeto do concurso para a matriz de Ribeirão Preto.

* * *

A cerimâonia oficial da inauguração será realizada hoje, às 2 horas da tarde, com a presença do dr. Affonso Penna, presidente da República.


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

O "SALON" DE 1908. O "VERNISSAGE". Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1 set. 1908, p. 1.

Ferramentas pessoais
sites relacionados