. NOTAS SOBRE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 4 set. 1900, p.3. - Egba

NOTAS SOBRE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 4 set. 1900, p.3.

De Egba

Exposição Nacional de Belas Artes - O Sr. Rodolpho Amoedo expõe este ano apenas três quadros, dos quais o melhor é o retrato de Mlle. L. M.

A beleza da retratada, a sua graciosa atitude, a atração da cor, a finura com que é pintado, prendem logo a atenção. É muito bem feito, tudo é muito bem tocado, há muita arte na composição, e não teria o menor senão se não fosse uma certa dureza que não sabemos se devemos atribuir ao abuso talvez dos pretos.

No auto-retrato, pintado com certa simplicidade, nota-se a mesma dureza, e tem um caráter que não nos parece verdadeiro. Parece mais o retrato de um turco rebarbativo do que o do distinto e apreciado artista.

Na Saída de Baile há certa finura de toque, mas é o que nos agrada menos.

O Sr. Raphael Frederico, que o ano passado se distinguiu por uns belos quadrinhos de gênero, este ano mandou trabalhos da mesma espécie e igualmente interessantes.

É incontestavelmente um artista que tem talento, muito feliz na escolha dos assuntos, que tem uma palheta variegada e simpática e uma técnica talvez demasiado larga para a espécie de trabalhos que apresenta. É pena que não tivesse trabalhado mais os seus quadros, não os houvesse tratado com mais apuro e unidade, o que teria feito deles verdadeiras joias.

Agradaram-nos sobremodo o de n. 74 - Antes do Ensaio e o n. 76 - Rondó em lá menor, de gracioso tema e cor agradável.

Dos quadros do Sr. Brocos, as três paisagens demonstram uma técnica boa e segura, a palheta mais limpa do que nos acostumara esse artista e fidelidade na reprodução dos trechos escolhidos, todos tirados da estrada de Teresópolis, nas vizinhanças da barreira do Rio Soberbo.

Afigura-se-nos melhor a Paineira, em que a paisagem é exata e são evidentes as suas qualidades de pintor, mas afigura-se-nos que há qualquer coisa na planimetria: e a Mangueira (n. 20) tem fidelidade local e boa de cor, mas o céu nos parece duro, pesado, sem a leveza nas nuvens, a atmosfera própria da hora.

O retrato é um bom e sólido estudo de cabeça, também notável pela semelhança.

O Sr. Brocos tem na Exposição um bom retrato à água-forte, de uma técnica nervosa e franca, e que seria primoroso se não fosse a mão esquerda.

Um artista cuja exposição sempre se torna saliente é o Sr. Benjamin Parlagreco.

É um pintor que tem talento, que tem uma maneira sua particular e inconfundível, que o faz reconhecer imediatamente.

É de se notar a sinceridade com que procura transmitir a realidade da impressão que recebe diante da natureza, principalmente da denominada de terra fria.

Dos seus quadros este ano preferimos o de n. 168 - Quintandinha, excelente e exato de impressão, e os de ns. 158 e 159, muito agradáveis de cor, com características locais, embora de efeito frio.

No quadro - A procura de parasitas, afigura-se-nos haver qualquer senão na perspectiva; aliás é ele um dos mais interessantes da numerosa contribuição desse laborioso artista.

-

O Sr. J. J. Antunes Braga adquiriu o quadro n. 8 - Pêssegos de Santa Barbara, do Sr. João Baptista da Costa.


Digitalização de Arthur Valle

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

NOTAS SOBRE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 4 set.1900, p.3.

Ferramentas pessoais
sites relacionados