. NOTAS SOBRE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 14 set. 1901, p.3. - Egba

NOTAS SOBRE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 14 set. 1901, p.3.

De Egba

Exposição de Belas Artes - A seção de escultura este ano é também bastante interessante por conter espécimes notáveis de uma arte que aqui não tem tido a apreciação de que é merecedora.

O Sr. Rodolpho Bernardelli expõe apenas três trabalhos, dos quais o de maior fôlego é o busto em bronze, tamanho natural, do saudoso jornalista Ferreira de Araújo. Como retratista há muito que se impôs: os seus retratos em geral primam pela semelhança, têm animação e expressão vital das feições, e no de Ferreira de Araujo tudo isso se nota. O retrato em bronze, tamanho reduzido, do Sr. L. R. é uma cire perdue, muito fina, de uma execução muito simples e animada; e a Vicória, um pequeno bronze dourado, tem na sua fatura nervosa e espontânea bem caracterizada a expressão de movimento e de graça.

O ilustre professor com esses trabalhos, que embora de grande valor próprio, não são os que melhor podem representar a sua arte, quis apenas fazer ato de presença, mas deixou o melhor do campo ao seu discípulo, o Sr. José Octavio Corrêa Lima, um ex-aluno da Escola que se acha em Roma estudando a sua arte.

Este talentoso moço, que na exposição de 1898 obteve o prêmio de viagem com um trabalho que revelava qualidades não desprezíveis de desenho e fatura, mandou agora quatro trabalhos, um em gesso e três em bronze, que atestam rápido, e admirável progresso causam a impressão de que temos mais um escultor nacional.

Nos trabalhos expostos, revela um vigor de tratamento e certa audácia de execução, que não eram de esperar em um artistas [sic] tão novo; todos os seus trabalhos mostram logo que a qualidade de desenho correto e seguro, já evidenciada no seu Remorso, tem-se aprimorado o que leva o estudo do corpo humano a grande pormenores anatômicos.

Cada uma dessas obras nos surpreende, porque a par de provar que é um artista que tem ideias e lhes sabe dar interpretação, demonstra também que ele não abandona a natureza, mas, pelo contrário, procura desvendar-lhe os segredos. É evidentemente amante do nu, a cujas sutilezas de modalidade procura dar expressão, e a sua fatura já se ressente de certa independência e virilidade, apesar de visível preocupação de detalhes.

O seu S. João, em gesso e tamanho natural, tem vigor de desenho e é executado com grande simplicidade de composição; possui nobreza e pureza de linhas de um mármore clássico, e causa uma impressão serena e elevada.

Os três bronzes têm todos, a par de uma execução cuidada, principalmente no estudo da anatomia, caráter distintivo.

O Caim, no abatimento profundo, na expressão de desolação e desesperança, dá bem a ideia do remorso. O prisioneiro tem expressão selvagem, atitude altiva e nobremente provocadora, e certa impressão de movimento; e o Pagé, um pequeno bronze muito carinhosamente tratado nos menores detalhes do modelado, é excelente de atitude e expressão pitoresca.

Por ora, o Sr. Correia Lima só se tem limitado a modelar as linhas firmes e vigorosas do corpo masculino, tipo da força; sentimos que ainda não o tenha seduzido a carnação macia da mulher, tão delicada nas suas curvas flexíveis.

No pouco tempo em que está na Europa, tão extraordinários foram os seus progressos, que é de lastimar que a sua pensão termine brevemente e que o artista tenha de interromper estudos tão promissores de brilhantes resultados. Raras vezes entre nós uma vocação artística tem-se afirmado com tanta força e será de lastimar que, por falta dos recursos necessários, se veja ela impedida de desenvolver-se nos meios mais próprios para a sua completa e cabal manifestação.

A Sra. D. Nicolina Vaz de Assis, discípula da Escola, que já se tem distinguido por mais de um trabalho de merecimento, tem dois gessos bem interessantes: uma cabeça de estudo, feita com certa graça de contorno e vida e bem entendida sobriedade no tratamento da mantilha que envolve a cabeça de moça; e uma menina adormecida, graciosa na sua posição, bem expressiva, sendo apenas de lamentar o modo como distribuiu e tratou os cabelos.

A sua maneira de representar crianças, pelas quais tem notável predileção, é bem simpática e serve-lhe para exibir boas qualidade de técnica.

Do Sr. Amadeo Zani gostamos de um busto, em gesso, o retrato de D. Bosco, pelo seu modelado, expressão e execução franca.

Devemos também incluir nesta seção os admiráveis retratos em gesso, em baixo relevo, dos Almirantes Barroso e Tamandaró, pelo Sr. Augusto Girardet.

É de uma fina e segura arte a maneira como, conservando quase plana a superfície do seu gesso, consegue ele dar modelado expressivo e cheio de vida às suas figuras. Isto também se observa nas maquetes em gesso para as medalhas de IV Centenário, do Rei Umberto e em memória de Verdi.

A medalha oferecida a Rodolpho Bernardelli pelo Conselho Superior de Belas Artes é bastante original, e o broche em ouro representando um 'Amor Perfeito, cujo centro é formado por um fino e delicado perfil de mulher, é fino tanto de ideia como de execução.

Na seção de arquitetura domina quase exclusivamente o professor Morales de los Rios, com diversos projetos de mercados, teatros, etc. Uns já construídos e outros por executar, mas evidenciando todos os variados conhecimentos que tem da sua especialidade, o critério de saber adaptar o estilo próprio não só ao fim como ao local, como o provam tão exuberantemente os seus mercados para o Rio, tão leves e tão sólidos, elegantes e simples, deixando entrar francamente o ar e a luz.

Como cultor de arte decorativa, ou antes, como diz bem o Catálogo, de arte aplicada às indústrias, mandou três espécimens que mostram o seu fino gosto e talento moldável.

O Sr. Victor Dubugras, arquiteto francês que vive em S. Paulo, expõe um belo projeto da Matriz da cidade do Ribeirão Preto, em estilo parece-nos neo-grego, de magnífico efeito, e o Sr. Ludovico Berna expõe um projeto de uma habitação nas Águas Férreas e o projeto do novo edifício do Jornal do Brasil.

Na seção de gravura, além do Sr. Brocos, de cujos trabalhos já falamos, é também expositor o Sr. J. R. Cattaneo, que tem um quadro com diversos espécimes de xilografia, dos quais alguns muito finamente executados.


Digitalização de Arthur Valle

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

NOTAS SOBRE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 14 set. 1901, p.3.

Ferramentas pessoais
sites relacionados