. NOTAS DE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 1 set. 1904, p.2. - Egba

NOTAS DE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 1 set. 1904, p.2.

De Egba

Exposição Geral de Belas-Artes - Hoje, ao meio dia, inaugurar-se-á a exposição geral de Belas-Artes do corrente ano.

Realizou-se ontem ali a cerimônia do vernissage que foi muito concorrida, notando-se muitas senhoras e representantes de quase todas as classes da sociedade. A exposição deste ano contém grande número de trabalhos na seção de pintura, em que aparecem alguns nomes novos; nada menos de 224 telas ali figuram, entre as quais é bastante regular a porcentagem dos de merecimento.

Da visita rápida que ontem ali fizemos, pudemos notar os seguintes quadros que nos chamaram a atenção; cinco admiráveis retratos, por Henrique Bernardelli, entre os quais avulta o de Arthur Napoleão, fadado talvez a ser o clou da exposição; oito belas paisagens de João Baptista, em que o distinto artista parece estar tendendo para tornar mais clara a sua cor; dois trabalhos de Rodolpho Amoedo, um a óleo de ovo e um retrato a encáustica; um bom quadro de gênero, de M. Brocos; alguns sólidos estudos de cabeça e finas aquarelas de Elyseu Visconti; aquarelas e uma vibrante paisagem a óleo, de Benno Freidler [sic]; um quadro de gênero e paisagem, de Teixeira da Rocha; aquarelas da senhorita Cunha Vasco; quadros de Pacheco; uma paisagem de G. Dall'Ara e trabalhos de Angelo Agostini.

É grande este ano a concorrência dos artistas novos, e se os trabalhos por eles expostos não são isentos de senões, a maior parte revela, a par de incontestável talento, grande aplicação e vontade de progredir. Assim podemos dizer de Eduardo Bevilacqua, que já o ano passado se fizera notar; Rodolpho Chambelland, que tem coisas bem interessantes e um grande quadro de composição, com bastantes qualidades; Evencio Nunes, J. Fiuza, Raphael Frederico, Antonio Luiz de Freitas [sic], Lucilio de Albuquerque, Joaquim Fernandes Machado, que nos chega da Europa com um trabalho muito numeroso; Heitor Malagutti, que apenas concorre com um esboço nu, em que se trai a nota literária da sua arte; Carlos Oswaldo, cujo nome aparece pela primeira vez no Catálogo, mas de modo brilhante; Helios Seelinger, que expõe numerosos trabalhos em que destaca a sua nota pessoal, e outros cujos nomes não nos lembram agora.

Entre os trabalhos de senhoras que expõem, nota-se um interior de igreja e outros trabalhos de D. Eulalia do Nascimento e Silva; naturezas mortas, de D. Sarah Del-Vecchio e desenhos de D. Juliette Wencelins.

A seção de arquitetura contém trabalhos dos conhecidos arquitetos René Barba e Morales de los Rios e de Sr. Aluisio Carlos de Almeida Stahlembrecher, um aluno da Escola Nacional de Belas-Artes, que apresenta belos resultados dos seus estudos. Na de escultura, encontram-se um bom busto em bronze de Rodolpho Bernardelli; um trabalho em gesso, de Corrêa Lima; bustos em gesso de Amadeu Zani; e na de gravura de medalhas, modelos em gesso de diversas medalhas, por Augusto Girardet, e um baixo relevo em bronze, Sacra Família, de A. Zani.

Voltaremos a tratar da Exposição em subsequente notícia.


Digitalização de Arthur Valle

Transcrição de Andrea Garcia Dias da Cruz

NOTAS DE ARTE. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 1 set. 1904, p.2.

Ferramentas pessoais
sites relacionados