. EXPOSIÇÃO GERAL DE BELAS ARTES. Gazeta de Noticias, Rio de Janeiro, 28 out. 1894, p.2. - Egba

EXPOSIÇÃO GERAL DE BELAS ARTES. Gazeta de Noticias, Rio de Janeiro, 28 out. 1894, p.2.

De Egba

Elyseu d’Angelo Visconti, pensionista do Estado na Europa há mais de ano e meio, é o fruto mais legítimo e mais precioso da escola das Belas-Artes.

No concurso de viagem de 1892 deu prova brilhante do seu talento artístico, ganhou o prêmio e foi para Paris. Ali não adormeceu sobre os louros adquiridos na pátria e pôs-se a trabalhar com grande amor e entusiasmo.

Logo depois mandou uns quadros à exposição de Chicago e recebeu uma medalha, e neste mesmo ano apesar de ser novo no meio parisiense, teve a honra de ser admitido no Salon com dois quadros que foram considerados e louvados.

Ao mesmo tempo que trabalhava para esta primeira exposição enviava para a escola um estudo de figura e do nu, para satisfazer suas obrigações de pensionista.

É como se vê um trabalhador exímio e um temperamento artístico de primeira ordem.

Os dez quadros que aqui e acolá figuram nas duas salas da exposição pertencem a diversas épocas, desde a de discípulo da escola até a de expositor no Salon. Os entendidos podem notar perfeitamente a evolução do seu talento e o progresso que se vai manifestando nos últimos trabalhos do jovem artista com o contato de novos meios de novas ideias e com o conhecimento de novos elementos artísticos, que o governo francês, desde há muito procura concentrar na cidade mais animada e mais ruidosa do mundo moderno.

Nas paisagens notam-se as primeiras manifestações e as primeiras promessas: há maior ou menor felicidade no estudo dos pormenores na escolha das linhas e na alocação das figuras; mas o que nunca falta é a equação luminosa do conjunto: embrionária apenas intencional em alguns, clara e bem definida noutros.

Percebe-se à primeira vista que a observação do artista é feliz e que muitas vezes consegue traduzir, com relações apropriadas, os caracteres salientes das linhas, das cores e dos objetos observados.

Aí está a medida que ajuda a distinguir num estado inicial o que promete ser artista do que ilude, ou se ilude de poder alcançar com os esforços do trabalho o que a natureza lhe negou.

A Leitura e a Distração são dois quadrinhos dignos de toda a atenção, dois estudos em que o artista tenta adquirir uma fisionomia e dar forma a uma ideia.

Há belas qualidades de palheta e há afirmação séria de bom gosto na fusão das tintas e na repugnância decidida que mostra para os efeitos chocantes e charlatanescos que nos últimos tempos andavam pelas glórias da moda.

Enfim, o senhor Visconti já começou bem em Chicago continua a andar e irá longe muito longe no campo da arte.

Que a modéstia excessiva ou as lutas que não deixarão de aparecer aos primeiros triunfos não o afastem da vida luminosa em que entrou.


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Bárbara Kushidonti

EXPOSIÇÃO GERAL DE BELAS ARTES. Gazeta de Noticias, Rio de Janeiro, 28 out. 1894, p.2.

Ferramentas pessoais
sites relacionados