. BELAS ARTES. O Jornal, Rio de Janeiro, 28 ago. 1923, p.3. - Egba

BELAS ARTES. O Jornal, Rio de Janeiro, 28 ago. 1923, p.3.

De Egba

O SALÃO DESTE ANO

NOTAS E IMPRESSÕES

Prosseguindo no registro de impressões colhidas no salão deste ano, apraz-nos voltar a referir o nome do professor Lucilio de Albuquerque, para citar um desenho que tanto tem de expressivo como de agradável. É uma cabeça de mulher, uma nota cheia de frescura e largamente desenhada.

Tratemos agora de outro mestre - e mestre consagrado - o pintor Elyseu Visconti. "Afetos" constitui uma página íntima da sua palheta. Aquelas cabeças, aquelas fisionomias expressivas, parecem emergir da tela e falar. Fácil foi ao artista refletir toda a pureza, toda a psicologia daquelas almas, pois cada uma delas é um pedacinho da sua própria alma, da sua própria vida...

A paisagem enviada pelo Sr. Paula Fonseca - "Recanto de fazenda" - é bem iluminada e tem boa perspectiva. Pena é o que os bois não guardem em relação aos demais elementos da paisagem uma justa proporção. O Sr. Paula Fonseca tem, inquestionavelmente, qualidade de paisagista, mas precisa conquistas individualidade.

O pintor Leopoldo Gotuzzo, enviando cinco trabalhos ao salão deste ano, deu um belo exemplo de operosidade. E assim o afirmamos por sabermos que ele acaba de regressar do sul do país onde realizou uma exposição a bem dizer por entre o sibilar das balas e ao tropel das cavalarias. Apesar da situação revolucionária em que se encontra a terra gaúcha, o Sr. Leopoldo Gotuzzo foi feliz. Teve os seus quadros adquiridos, executou alguns retratos e não se esqueceu do salão anual. O seu retrato de menino (tela 83) tem expressão e relevo. É um trabalho magnífico quer o encaremos como figura, quer como retrato. O garoto (84 do catálogo) parece-nos mais zangado do que triste. O antigo forte do Leme tem profundidade e é trabalho que fala como documentação histórica. A casinha vermelha não tem leveza de tons e o estudo de nu à sanguínea pareceu-nos muito carregado.

As marinhas do Sr. Garcia Bento vão ganhando terreno. Tem uma palheta clara e limpa esse artista, cuja fatura se apresenta largamente espatulada na "Tarde de sol" quadro com que está representado na exposição geral. Falta ao Sr. Garcia Bento ocupar-se um pouco mais com as suas figuras, animá-las e colocá-las em proporção.

A individualidade artística do jovem Sr. Oswaldo Teixeira vem sendo muito discutida nestes últimos dias. A composição que ele levou à exposição geral, com candidato ao prêmio de viagem, foi uma verdadeira decepção. Críticos e artistas viam no novel pintor uma sólida promessa, a afirmação de um grande talento para a carreira que abraçou. Ofuscado pelo coro dos elogios o Sr. Oswaldo Teixeira tomou ares de gênio, entrou no terreno das originalidades e produziu o ano passado aquela coisa doentia a que intitulou - "O homem da rosa". O quadro "Deixai vir a mim as criancinhas" (tela 120 do catálogo) é um trabalho carecedor de qualidades. No interior de misera choupana está uma criança morta. Ajoelhada, debruçada por terra, uma pobre mãe chora. A figura de Jesus surge à entrada: "Deixai vir a mim as criancinhas que para elas é o reino dos céus". O assunto, sem ser novo, oferece ensejo para grandiosa composição. Essa grandiosidade não logrou alcançá-la o Sr. Oswaldo Teixeira. A figura do cristo não guarda uma atitude ereta na sua linha de composição. A criança morta tem corpo de menino e pernas de adulto. A falta de proporcionalidade é evidente e parece incrível que o artista não a tivesse percebido. A luz mística que se projeta iluminando a cena também é falha de observação; não tem doçura nem suavidade. Num salão de artistas aquele trabalho está deslocado. Outros lá se encontram em idênticas condições, claudicando no desenho. Parece-nos que a comissão de admissão devia fazer do bom desenho a condição primordial para a entrada dos trabalhos no salão.

O fato do quadro do Sr. Oswaldo Teixeira ser o mais discutido é prova de que se continua a ver no jovem pintor uma sólida promessa. O retrato do leiloeiro Virgilio feito por esse artista tem ótimas qualidades embora lhe falte um pouco mais de vida e de caráter. A teça "Recostada" tem relevo e é bem expressiva. Os demais trabalhos do Sr. Oswaldo Teixeira nada transmitiram ao nosso espírito. Continuamos a confiar nos ótimos frutos desse temperamento artístico, se, como todos esperam, a perseverança, o apurado estudo do desenho e uma fé absoluta no seu esforço, não o abandonarem.


Imagem

"Afetos" - Quadro do pintor Eliseu Visconti


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

BELAS ARTES. O Jornal, Rio de Janeiro, 28 ago. 1923, p.3.

Ferramentas pessoais
sites relacionados