. BELAS ARTES. O Jornal, Rio de Janeiro, 26 ago. 1923, p.3. - Egba

BELAS ARTES. O Jornal, Rio de Janeiro, 26 ago. 1923, p.3.

De Egba

O SALÃO DESTE ANO

NOTAS E IMPRESSÕES

É das mais agradáveis a impressão que se recebe ao contemplar o contingente levado ao salão deste ano, pelo professor Baptista da Costa. Já consagrado como intérprete maravilhoso da paisagem brasileira, ele reafirma a justiça desse conceito a cada novo trabalho que apresenta. Assim autoriza afirmar o seu último quadro "Em plena natureza", um aspecto colhido no alto da serra, em Petrópolis. A arte do pintor Baptista da Costa é simples e honesta. Ela não visa afirmar efeitos com sacrifício daquilo que as regras do bom desenho estabeleceram. Esse conjunto de qualidades reflete-se "Em plena natureza" (quadro 11 do catálogo), em que a mão do mestre soube estabelecer planos e distâncias dentro de uma agradável perspectiva. Tudo é equilibrado nessa tela cheia de sentimento. Os altos píncaros que as nuvens beijam, os cortes caprichosos que as trombas d'água cavaram, as variegadas tonalidades do verde da floresta que se estende por vales e montes, os contrastes de luz e sombra entre o primeiro e o segundo plano, o macio aveludado do ambiente, tudo isso se infiltra na nossa alma como que nos colocando em pleno cenário, onde o artista colheu o assunto para o seu quadro.

Em "Uma tradição que desaparece", um aspecto de desmonte do morro do Castelo (tela 13 do catálogo) o pintor Baptista da Costa oferece outro aspecto do seu talento. É um trabalho de documentação histórica, um flagrante dessa obra gigantesca, que é o arrasamento da montanha tradicional em que figurou o marco milenário da fundação da cidade.

Entre o que foi enviado ao salão pelo Sr. Pedro Bruno, devemos destacar o quadro "Símbolo das praias". É uma tela simpática, um trabalho de ar livre, feito com largueza, bem arejado e envolvido em agradável ambiente. Apresenta o mesmo uma figura de mulher em plena praia, com o filhinho ao colo. Bastante feliz esse trabalho do pintor Pedro Bruno que, como prêmio de viagem à Europa, ainda deve ao público uma exposição individual.

Dos envios do professor Lucilio de Albuquerque, em número de cinco, mereceu serem assinalados "Curva da estrada", "Troncos" e "Entrada da barra", todas bem iluminadas e com bom desenho.

Com "O livro louro" (tela 110 do catálogo), o Sr. Mario Tulio apresenta uma linda criatura em "dessous". É um quadro feliz na ideia e na execução. Aquelas meias de seda transparentes, aqueles refolhos de rendas, largamente indicados, constituem uma nota quente, original e algo provocadora...


Imagem

"Símbolo das praias" - Quadro do pintor Pedro Bruno


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

BELAS ARTES. O Jornal, Rio de Janeiro, 26 ago. 1923, p.3.

Ferramentas pessoais
sites relacionados