. BELAS-ARTES - O “vernissage” do salão deste ano Hoje às 15 ½ horas será a inauguração oficial. O Jornal, Rio de Janeiro, 12 ago. 1920, p. 3. - Egba

BELAS-ARTES - O “vernissage” do salão deste ano Hoje às 15 ½ horas será a inauguração oficial. O Jornal, Rio de Janeiro, 12 ago. 1920, p. 3.

De Egba

Pelos três salões em que foram distribuídos os trabalhos dos concorrentes a 27ª Exposição Geral de Belas Artes, espalhou-se ontem, à tarde, um alegre burburinho. Eram artistas, homens de letras, colecionadores e jornalistas, ali reunidos para o “vernissage” do certame deste ano. Não havia no ambiente e aspecto cerimonioso das inaugurações oficiais, mas aquele convívio alegre e despreocupado dos que cultivam a arte.

Os grupos espalhavam-se pelos corredores amplos, oferecendo o contraste interessante da alegria incontida dos novos e a serenidade dos que já venceram ou viram estiolar o seu esforço ante a indiferença do meio.

E, como soe acontecer em todo “vernissage” que se preza, não faltou ao de ontem a nota da maledicência, tão apreciada e cultivada entre alguns dos nossos artistas...

Desses comentários, verdade seja dita, muitos de revestiam de razão e justiça. Aqueles eternos tapumes de lona que o governo ainda [...] quis evitar, os ridículos festões de folhagens, a absoluta ausência de bom gosto numa casa de artistas, tudo isso já teria sido evitado, se houvesse um pouco de boa vontade por parte da administração pública. Mas que mais poderia fazer a comissão organizadora, sem espaço e sem recursos? Esta apelou, em vão, para o presidente Epitácio Pessoa, que, depois de uma larga estadia nos centros artísticos do Velho Mundo, bem podia olhar com mais simpatia e mais carinho para a arte no brasil.

Passando a outra ordem de considerações, diremos que o Salão deste ano representa um esforço dos nossos artistas. Há ali trabalhos que nos honram, no cultivo de um delicado ramo de cultura, como esse das artes plásticas.

Bem podia o júri ter selecionado um pouco mais, não só para maior equilíbrio do conjunto, mas também para levar emulação ao espirito dos que não houvessem ainda alcançado a meta desejada, o preparo preciso para transpor as portas do Salão.

Estão representados na exposição deste ano nomes acatados do nosso meio artístico, e entre estes Amoedo, Baptista da Costa, De Servi, Carlos Oswaldo, Rodolpho Chambelland, Levino Fanzeres, Georgina de Albuquerque, Magalhães Corrêa, Lucilio de Albuquerque, Arthur Timotheo, Brasset, [sic] Latour e Selinger.

A sra. Cecil Clarck Davis, pintora norte-americana atualmente entre nós, enviou dois magníficos retratos.

Os trabalhos do pintor sr. Elyseu Visconti, as telas com que o mesmo figurou no “Salon” de Paris, não chegaram a tempo de ser colocadas; mas lá se acham os lugares reservados para as mesmas.

Hoje é a inauguração oficial do Salão às 15 ½ horas, com a presença das altas autoridades.

Com mais vagar, falaremos dos diversos trabalhos expostos na seção de pintura e escultura.


Imagem

A comissão organizadora do salão deste ano: Raul Pederneiras, Rodolpho Amoedo e B. Freidler [sic]


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Andrea Garcia Dias da Cruz

BELAS-ARTES - O “vernissage” do salão deste ano Hoje às 15 ½ horas será a inauguração oficial. O Jornal, Rio de Janeiro, 12 ago. 1920, p. 3.

Ferramentas pessoais
sites relacionados