. BELAS-ARTES. O SALÃO DE 1906. A INAUGURAÇÃO. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 2 set. 1906, p.9. - Egba

BELAS-ARTES. O SALÃO DE 1906. A INAUGURAÇÃO. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 2 set. 1906, p.9.

De Egba

Com a presença do Sr. Presidente da República, suas Exmas. filhas, casa militar do Palácio, Dr. Felix Gaspar , Ministro do Interior e seu Secretário, Sr. Rodrigues Barbosa; Dr. Prefeito Municipal, Dr. Leopoldo de Bulhões, Ministro da Fazenda, Dr. Paulo de Frontin. Dr. Gabriel Junqueira, Dr. Daltro Santos, Carlos Américo dos Santos, Rodolpho Amoedo, Diogo Chalréo, Rodolpho Bernardelli, M. Brocos, Baptista da Costa, Belmiro de Almeida, Bevilaqua, Arthur Lucas, José Mariano Filho, Araújo Vianna, Mme. Joanna Brandt, Mme. Mathilde Faria, Mme. Licínio Cardoso, José Veríssimo, Agenor de Carvoliva, Plácido [...], A. Petit, Pedro Peres, J. Macedo, Luiz Ribeiro, Corrêa Lima, Timotheo da Costa, Chambeland, F. Manna. E. Girardet, D. Julieta França, Zeferino da Costa, […] Berna, Honório Mello, Arnaldo Gomes. J. Fiuza, R. Albino, Gonzaga Duque, Calixto Cordeiro, Luiz Edmundo, Dr. Guimarães Porto, Dr. Theodoro Magalhães, J. Valle, Dr. Frederico Russell, Raul Pederneiras e outros cavalheiros, crescidíssimo [sic] numero de senhoras e senhoritas, inaugurou-se ontem a décima terceira Exposição Geral, no edifício da Escola Nacional de Belas Artes.

Era difícil circular pelas salas, tal a quantidade de visitantes que ontem compareceram e estimaríamos bastante que pelo menor um número igual a metade sempre haja na Exposição como nota reveladora de interesse real pelas belas-artes.

O Sr. Presidente da República visitou todas as salas, demorando-se bastante na apreciação dos trabalhos reputados melhores.

A impressão geral agradou a todos, embora não figure na atual exposição a maior parte dos artistas consagrados. Tais como Henrique Bernardelli, Rodolpho Amoedo, Zeferino Costa, Aurélio de Figueiredo, Rodolpho Bernardelli, Daniel Berard e muitos outros; sendo relativamente compensada essa ausência pela forte revelação de cinco pincéis novos, Eduardo Bevilacqua, Arthur Timotheo da Costa, Carlos Chambelland, Francisco Manna e Carlos Oswald.

Sondando a opinião dos visitantes, verificamos com observação que o agrado geral, inclina-se em extremo para as composições de Belmiro de Almeida, Baptista da Costa, Arthur Lucas, Rosalvo Ribeiro e Corrêa Lima.

Durante a cerimônia fez-se ouvir uma das bandas musicais da Força Policial, no saguão da entrada, onde se acham os dois grandes gessos de D. Julieta França.

O catálogo ontem distribuído traz uma elegante capa, desenhada por H. Bernardelli.

A Exposição estará aberta todos os dias.

- Ainda não figuram no salão os seis quadros enviados da República Argentina pelos artistas A. [...] e Fabio Fader [sic], que estão a chegar.


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Andrea Garcia Dias da Cruz

BELAS-ARTES. O SALÃO DE 1906. A INAUGURAÇÃO. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 2 set. 1906, p.9.

Ferramentas pessoais
sites relacionados