. A EXPOSIÇÃO. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 2 set. 1906, p. 5. - Egba

A EXPOSIÇÃO. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 2 set. 1906, p. 5.

De Egba

Com a presença do presidente da república e do ministro do interior, e com a solenidade dos anos anteriores, realizou-se ontem a abertura da 13ª exposição nacional de Belas Artes.

Para realizá-la foi preciso infelizmente a obtenção, de bons quadros estrangeiros. Lá figuram, por exemplo, com grande relevo, como era natural, diversos quadros de Malhôa, - que acabaram de ser expostos no Gabinete Português de Leitura. Algumas das obras de arte de pintores de fora do Brasil são pertencentes ao governo como as Cócegas do Malhôa. Outras foram cedidas por empréstimo delicadamente, pelos cavalheiros que delas se tornaram proprietários.

Esse recurso foi empregado para atenuar a má impressão de ausência de muitos nomes nacionais conhecidos, para reforçar a coleção onde estão representados apenas estes artistas dos velhos: Brocos, João Baptista, Treidler, Dall'Ara, Belmiro, Rafael Frederico, A. Delpino, Auguste Petit.

Novos é que não são poucos os que aparecem - e entre eles alguns vitoriosamente.

Mais de espaço nos ocuparemos devidamente dos trabalhos expostos.


Digitalização de Arthur Valle

Transcrição de Andrea Garcia Dias da Cruz

A EXPOSIÇÃO. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 2 set. 1906, p. 5.

Ferramentas pessoais
sites relacionados