. ARTES E ARTISTAS - Exposição de Belas Artes. O Paiz, Rio de Janeiro, 2 set. 1910, p.6. - Egba

ARTES E ARTISTAS - Exposição de Belas Artes. O Paiz, Rio de Janeiro, 2 set. 1910, p.6.

De Egba

Inaugurou-se ontem a 17ª exposição geral de belas artes.

Ao meio dia, realizou-se a cerimônia oficial, com o comparecimento dos Srs. Presidente da República e ministro do interior, que foram recebidos à porta da Escola Nacional pelo ilustre pintor, Sr. Belmiro de Almeida, membro da comissão organizadora, e pelo diretor e professor da escola.

Outros convidados e inúmeros artistas achavam-se na ocasião presentes e os Drs. Nilo Peçanha e Esmeraldino Bandeira passaram a visitar os diversos salões da exposição, examinando os trabalhos, admirando alguns, atentos às explicações que, gentilmente, lhes prestava o Sr. Belmiro de Almeida.

O Sr. presidente da República e o Sr. ministro do interior retiraram-se depois de 1 hora da tarde, quando foi então a exposição franqueada ao público, notando-se até à tarde numerosa concorrência.

A exposição geral de 1910 é talvez a que apresenta maior número de trabalhos. O catálogo consigna 182, nas seções de pintura, gravura de medalhas, arquitetura, escultura, artes decorativas e objetos de arte.

Na seção de pintura, Rodolpho Amoedo representa-se por dois retratos, tendo sido muitíssimo admirado o do Sr. Alfredo Coutinho.

O professor Baptista da Costa, além das suas magníficas paisagens, entre as quais sobressai, entretanto Manhã, um maravilhoso quadro de Petrópolis, apresenta um excelente retrato do Sr. João Rego, oficial da Biblioteca Nacional.

Henrique Bernardelli também se representa com dois retratos.

Entre os novos, ocupa sem dúvida o primeiro lugar Presciliano Silva e faz-se admirar D. Regina Veiga, discípula de Rodolpho Amoedo, com os seus dois únicos quadros expostos.

Artistas estrangeiros concorrem, além de outros, Agustin [Agustin Salinas] e Pablo Salinas, ambos espanhóis, aquele domiciliado em Roma e este atualmente em S. Paulo. Ambos são artistas de real merecimento; evidentemente, porém, Pablo Salinas mostra-se mais senhor da sua arte.

São ainda expositores desta seção: D. Adelina Marques Saldanha [sic], Argemiro Cunha, Arnaldo de Carvalho, Agenor Cesar de Barros, Galdino Bicho, Xaldo Bocigni [sic], João Baptista Bordon, Modesto Brocos, José Braga [?], Pedro Bruno, Miguel Caplonde [sic], D. Carlota Gondolo Laboriau, Luiz Cristophe, Gaspar Coelho de Magalhães, Joaquim Soares Cunha, Gustavo Dall'Ara, Dario Villares Barbosa, Mlle. Milly Dernemont, Manoel Bas Domeneck, Carlos Gomes Fernandes, Francisco Ferraresi, José Monteiro da França, D. Gabriella Costa, D. Helena R. Meira, Insley Pacheco, Eugenio Latour, Francisco Manna, Mario Villares Barbosa, Annibal Pinto de Mattos, Germano Neves, Pedro Peres, Augusto Petit, D. Rachel Boher, D. Raymunda Delphina da Gama e Costa, Fabian de la Rosa, Alvaro Teixeira, Virgilio Mauricio e Elyseu Visconti.

A seção de gravuras de medalhas é representada pelo professor Augusto de Girardet e seu discípulo Adalberto Mattos.

Na de arquitetura, é único expositor João Ludovico Berna.

Na de escultura há sete trabalhos de Umberto Cavina, Magalhães Correia e Moreira Junior.

Na seção de artes decorativas, finalmente, exibem-se João Berna, D. Maria Rosalia Correia Lima e a Fundição Indígena.

O clou da exposição de 1910 é, entretanto, o salão consagrado ao ilustre e saudoso Daniel Berard. São nada menos de 65 trabalhos, todos primorosos, como os sabia fazer o grande mestre.


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

ARTES E ARTISTAS - Exposição de Belas Artes. O Paiz, Rio de Janeiro, 2 set. 1910, p.6.

Ferramentas pessoais
sites relacionados