. ARTES E ARTISTAS - BELAS ARTES. O Paiz, Rio de Janeiro, 27 ago. 1921, p.5. - Egba

ARTES E ARTISTAS - BELAS ARTES. O Paiz, Rio de Janeiro, 27 ago. 1921, p.5.

De Egba

O JÚRI DA EXPOSIÇÃO.

Sob a presidência do Dr. Alfredo Pinto, ministro do interior, realizou-se ontem, no edifício da Escola Nacional de Belas Artes, a reunião do conselho superior de belas artes, para o fim de tomar conhecimento dos pareceres dos júris das diversas seções do atual salão de belas artes.

Foram pelo mesmo conselho aprovadas as seguintes apreciações propostas pelos referidos júris: seção de pintura, prêmio de viagem, a Guttmann Biche [sic]; grande medalha de ouro, a Belmiro de Almeida; grande medalha de prata, a Angelo Cantú, Levindo Fanzeres [sic] e Jorge de Mendonça; pequena medalha de prata, a Marques Junior; medalha de bronze, Gastão Forment [sic], Irene França e Oswaldo Teixeira; menção honrosa de 1º grau, Manoel Constantino Ribeiro e Joaquim da Rocha Ferreira; menção honrosa de 2º grau; Adelia Saldanha Gino Bruno Francoso, Manoel Bas Domeneck, José Maria dos Reis Junior, Thomaz Reynaldo [sic] e Armando Vianna; prêmios em dinheiro, 1:000$ a Francisco Menna [sic] e Gaspar Magalhães; 600$ a Raul Deveza e Paula Fonseca; 250$, a Euclides Fonseca e Luiz Kattenback; prêmio Galeria Jorge (500$), e Almeida Junior [Luiz Fernandes de Almeida Júnior]. Seção de escultura, menção honrosa de 2º grau, a Maria de Assis Mattos; prêmio em dinheiro (1:000$), a Antonino Mattos; 250$, a Paulo Mazuchelli. Seção de gravura: prêmio em dinheiro (500$), a Arlindo Bastos. Seção de arquitetura: pequena medalha de ouro, a Francisco dos Santos, e menção honrosa de 1º grau, a A. G. Maya [sic].

Findo o objeto para a qual foi convocada a reunião do conselho, o Sr. ministro despediu-se de todos os seus membros, pronunciando nessa ocasião um breve discurso. S. Ex. teve palavras de louvor para com o atual diretor da escola, professor João Baptista da Costa, pela sua sábia administração no mesmo estabelecimento. Disse o orador que, durante o tempo em que vem dirigindo a pasta da justiça, sempre tem procurado auxiliar o progresso artístico do país. Como brasileiro, continuaria a assim proceder. Despedia-se com saudade de todos os membros do conselho superior, onde sempre encontrou a maior boa vontade, na administração das belas artes. Em seguida usou da palavra o diretor da escola, que disse o seguinte:

“Permita V. Ex. que nesta sessão em que nos faz as suas despedidas para ir assumir o honroso cargo de ministro do Supremo Tribunal, que lhe apresente, em nome deste conselho, no da Escola Nacional de Belas Artes, e ainda em nome dos artistas brasileiros, com as nossas felicitações pela honrosa distinção que vem de receber do benemérito presidente da República o nosso grande e profundo reconhecimento pelos benefícios que em tão curto tempo na administração da pasta da justiça, prestou V. Ex. à esta escola e à arte brasileira em geral. As obras de melhoramentos e ampliação do atual edifício desta escola, e o carinho que V. Ex. sempre dispensou à arte brasileira e aos nossos artistas, por si só bastariam para ter V. Ex. como benemérito desta casa. Apresento, pois, a V. Ex. as minhas homenagens pelos grandes serviços prestados à arte brasileira e aos seus artistas.”

Em seguida o Sr. ministro encerrou a sessão, abraçando a cada um dos membros presentes, que o acompanharam até a porta principal do edifício da escola.

A. S. Ex. foi oferecido um belíssimo “bouquet” de cravos.


Digitalização de Arthur Valle

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

ARTES E ARTISTAS - BELAS ARTES. O Paiz, Rio de Janeiro, 27 ago. 1921, p.5.

Ferramentas pessoais
sites relacionados