. AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22 set. 1912, p.5. - Egba

AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22 set. 1912, p.5.

De Egba

O SALÃO DE 1912 - Elizeu Visconti apresenta na exposição cinco trabalhos. Um deles, o retrato de Gonzaga Duque, já figurou em outra exposição e para esse primoroso trabalho, um dos mais completos no gênero, estão esgotados os adjetivos elogiosos. É uma preciosidade artística incontestavelmente. Meio-dia é um esplendido efeito de luz que o pintor obteve com maestria notável e Primavera, constitui um dos mais admirados estudos do nu, atestado seguro do valor do artista, que altamente já está na falange dos bons, como pincel e como interpretação.

De Lucilio de Albuquerque temos a apreciar o Despertar de Ícaro, a que já nos referimos quando o artista apresentou em público os seus trabalhos, ao voltar da Europa. Coquetterie é outro trabalho gracioso e leve, onde o pintor apresentou a sua técnica reveladamente segura; os demais trabalhos que exibe casam-se bem como feitura e somente há um pequeno reparo quanto a tela Mãe Preta.

Aí o assunto prestava-se para uma composição vigorosa, mas o artista alcançaria o seu fim se não apresentasse um ambiente fraco.

Os modelos de que se utilizou e a disposição do trabalho não traduzem a beleza que o assunto poderia inspirar se fosse tratado com mais vigor. Lucilio de Albuquerque verá nestas linhas a franqueza aberta de quem deseja sempre o ver na vanguarda a produzir otimamente, pois que de anto ele é capaz.

Bueno Amador.


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Andrea Garcia Dias da Cruz

AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22 set. 1912, p.5.

Ferramentas pessoais
sites relacionados