. AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20 set. 1912, p.5. - Egba

AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20 set. 1912, p.5.

De Egba

O Salão de 1912 - Na seção de gravura de Medalhas, com sempre figura em primeiro plano, o professor Sr. Augusto Girardet. Os seus trabalhos executados sempre com arte e gosto, aliados a uma técnica perfeita, são verdadeiros primores no gênero. As gravuras em pedra e em metal são de perfeição admirável e os baixos relevos dão sempre um cunho artístico de tal ordem que nunca se admira sem aplauso espontâneo e sincero. É um mestre em toda a extensão do termo. O Sr. Adalberto Mattos apresenta também bons trabalhos, mostrando assim o aproveitamento consciente do prêmio de viagem. As composições têm cunho artístico e os estudos de cabeça embora não primem pela semelhança e muitas vezes pelo desenho, são apreciáveis. D. Nicolina Vaz Pinto do Couto apresenta dois trabalhos, sendo o melhor o gesso patinado representando o Barão do Rio Branco, muito expressivo.

Em pintura o Sr. João Timotheo da Costa apresenta uma tela, Trabalhando, bem tocada como estudo de impressão. Arthur Timotheo figura com o quadro Idílio já conhecido e apreciado na exposição que realizou a voltar da Europa.

Do Sr. Augusto Petit há a destacar o retrato do Sr. Delpech que é o melhor dos seus três trabalhos expostos, caracterizado pela semelhança fisionômica do modelado. De Carlos de Leroi [sic] o melhor trabalho de efeito é A carioca (sic) belo estudo da crioula, com bons efeitos de contrastes de luz. O beijo materno é um quadro bem colorido mas inexpressivo e frio, sem um ponto impressionante como composição. [...] perfil é do quadro Descanso do tropeiro, onde a sua palheta também se esmerou com efeitos e tonalidades agradáveis.

Fiuza Guimarães, ou por abandono ou por preguiça, deu-nos uma Salomé mal cuidada. O estudo do nu tem algo de notável, mas a cabeça da mulher está sem expressão, descuidadamente tocado, bem como a cabeça do Baptista que nos parece desproporcionada.

O artista certamente não dedicou a essa tela o carinho habitual que se aprecia em seus trabalhos acabados, como o célebre estudo do nu exposto há anos quase na mesma pose do estudo atual e que foi considerado um primor de arte e de verdade.

Bueno Amador.


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Andrea Garcia Dias da Cruz

AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20 set. 1912, p.5.

Ferramentas pessoais
sites relacionados