. AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 set. 1908, p.6. - Egba

AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 set. 1908, p.6.

De Egba

Edição feita às 23h20min de 6 de Fevereiro de 2012 por Egba (Discussão | contribs)
(dif) ← Versão anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

ESCOLA NACIONAL DE BELAS ARTES - O SALÃO DE 1908 - Na seção de pintura, o Sr. José Amarante expõe um auto-retrato, com algumas propriedades; vê-se que ainda titubeia na palheta, mas não faz descer do seu progresso, se continuar a estudar com firmeza e sinceridade, mormente com o auxílio dos dois professores que o orientam.

João Baptista da Costa é sempre o mesmo João Baptista das paisagens magistrais. Poucos, bem poucos serão tão verdadeiros como este artista patrício. São nossas, positivamente nossas aquelas paisagens, aqueles céus, aqueles efeitos de luz cantante que têm sido a dificuldade insuperável de muitos artistas estranhos. Pincéis abalizados têm desfalecido diante da nossa natureza; desenham-na com propriedade e não conseguem imprimir na tela esse segredo do colorido tropical de nossos campos. João Baptista, em cada palmo de tela, imprime vitoriosamente a poesia encantadora e única da nossa vegetação, o azul verdolengo de nossos mares, a luz opalinada do firmamento que nos cobre, e sente-se em suas paisagens o perfume suave e balsâmico que nos prende e encanta. Há trechos de telas que, por si sós, valem telas inteiras.

Expõe quatro trabalhos: - Para a Pesca é soberbo de efeito; Copacabana, principalmente no plano direito, é de uma poesia encantadora; sente-se o ar nesse ponto suavemente colorido. E, como não bastassem estas provas seguras do valor do artista, lá está o retrato vigoroso e palpitante do Dr. Azevedo Lima, o melhor dos retratos que se acham no Salão.

Augusto Crotti, bolonhês de origem, discípulo de Cabanel, dá-nos um auto-retrato pochade, feito com largueza, colorido vivaz, efeitos agradáveis e tonalidades próprias. Outro tanto não podemos dizer dos outros pastéis de sua lavra, um pouco hesitantes na fatura; talvez pouca vontade de rematar os trabalhos, para o que o autor acrescentou aos títulos dos quadros a palavra estudo. Esperamos apreciá-lo em trabalhos de mais fôlego.

Joaquim Fernandes Machado apresenta o quadro Predica aos pássaros, S. Francisco de Assis, tela que figurou no Salão de Paris, no ano passado, merecendo os mais francos elogios, a que juntamos os nossos. É um trabalho encantador, pelos efeitos, sentindo-se uma harmonia empolgante nessa suavidade morna que banha o ambiente. - Uma tela de valor seguro. Outra, diferente na fatura, mais moderna em seus processos, é a Chamada das Sereias, alegre e cantante a palpitar nas tonalidades claras e leves.

Dois bons quadros.

Continuaremos.

-

Bueno Amador


Digitalização de Mirian Nogueira Seraphim

Transcrição de Vinícius Moraes de Aguiar

AMADOR, Bueno. BELAS-ARTES. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 set. 1908, p.6.

Ferramentas pessoais
sites relacionados